segunda-feira, maio 16, 2011

Quanto vale um estadual

Muricy Ramalho, que ontem conquistou seu segundo título paulista, tem uma definição interessante para os estaduais: valem mais para quem perde.
De fato, se pensarmos que, dos doze clubes considerados os maiores, apenas Santos e Vasco têm algo mais a fazer do que as disputas regionais a esta altura, os jogos de ontem terão mais impacto sobre Corinthians, Atlético e Grêmio do que sobre os vencedores. Sem esquecer, é claro, daqueles que ficaram no caminho: Palmeiras, São Paulo, Fluminense e Botafogo.
Convém notar, ainda, que o êxito do Flamengo foi ofuscado por sua recente eliminação.
À parte o peso para os derrotados, Internacional, Cruzeiro e Santos se confirmaram como melhores times deste primeiro semestre, mas sem a frente tão adiantada que se afigurava.
Nos próximos meses, confirmando-se as contratações de Alex e Seedorf, o Corinthians deve se unir ao trio. O Santos, ainda que perca Ganso para o Corinthians, continuará na frente dos outros, se trouxer, como parece estar prestes a trazer, Zé Roberto.
Parabéns aos campeões! Força a todos os outros!

3 comentários:

Sidarta disse...

Os estaduais da Bahia e de Pernambuco valeram bastente para os campeões.

Eduardo disse...

E no RS valeram também! Abs.

ALÔ! ALÔ! disse...

Bom dia à todos! Dentro do circuito dos chamados times grandes,sem dúvida,a derrota acaba tendo um peso maior mas se formos para o interior do país,principalmente no Nordeste,veremos que as coisas mudam um pouco de figura.Junto com a Copa do Brasil,o Estadual da à estas equipes a oportunidade de aparecerem para a mídia,para o público do sul e sudeste,para mostrarem seu potencial,o que nos leva à outra questão: Se por um lado estes clubes,durante o campeonato,conseguem tirar suas cabeças fora da água,por outro,como não existe no país uma política de investimentos e apoio aos clubes de menor porte financeiro,eles se veem obrigados a se transformarem em vitrines.Ao final dos campeonatos,vendem seus melhores jogadores para pagarem suas contas e continuarem com uma sobrevida,até o próximo Estadual.Dependendo da região do Brasil e do quanto de grana cada clube movimenta,o Estadual tem um peso diferente.Não deveria ser assim,as Confederações Estaduais e a CBF,tinham obrigação de cuidar do futebol de maneira mais igualitária.Abraços,Anna Kaum.