terça-feira, janeiro 22, 2013

Palmeiras não irá tomar um tiro na nuca?

O interessante de crises é a possibilidade de mudanças.

O time da Pompéia vive à sombra dos Títulos da era Parmalat, toda hora é comparado à Lusinha, enfrentará a Libertadores e a Segundona do Brasileirão neste ano, falta de títulos e tantas outras confusões nestes últimos anos.

De todas as notícias e papos que vi sobre a eleição da nova diretoria do Verdão, é votação direta para Presidente da S.E. Palmeiras na próxima eleição, em 2014, que me impressionou.

O recém eleito presidente será o último a ser eleito só pela Turma da Pipoca, imortalizada por Felipão.

Segundo Zorza, um amigo palmeirense do trabalho, o problema do clube dele são os tiros na nuca as diretorias levam dos conselheiros. Como no Tropa de Elite II.

Fontes amigas do Face colocaram bem este trauma que sangra na Turiassú: as diretas tiram o poder de manobra e pressão da velha guarda, especialmente do Sr. Mustafá.

Daqui pra diante, os cartolas têm de prestar contas para todos os sócios e não mais só a alguns velhos senhores que se revesam no comando do Clube.

Por mais que critiquem, a democracia é melhor que uma oligarquia em um Clube também; especialmente quando se tem associados/eleitores capazes e atentos, como é o caso lá.

Tá tudo encaixadinho para dar certo por ali: quando se está em crise, qualquer melhora já é uma vitória e faz o sucesso; o jovem presidente tem a imagem de empresário vencedor, que o anterior tentou ter e não conseguiu; e o Brunoro será a cereja do bolo.

Agora, um perigo que ronda o clube da italianada paulistana é a comparação com o melhor time da Zona Leste de São Paulo.

Os contextos, possibilidade e pessoas são outros.

Um padrinho muitíssimo poderoso não está ajudando o Palmeiras e isso faz muita diferença; isso faz a escolha de um estádio de sede de Copa do Mundo acontecer por exemplo.

Para hoje, um poderoso poderia proporcionar um Riquelme sem muita tensão; parecido com o outro craque decadente que esteve do lado de lá a um tempo atrás.

Mas a muleta vicia e trás dificuldades quando se vai e isso é algo bem interessante de ser evitado; sem padrinho, não terminaria em pizza um trabalho bem feito no Palestra.

Tá bem que só falta combinar com os russos todo o resto para fazer o time sair da draga; mas há perspectiva agora, existe a possibilidade de ser destravada a forma como o Clube é controlado.

Ciao,







Um comentário:

geldoni disse...

Eheheheheheh, e foi gol do peixe