quarta-feira, fevereiro 20, 2013

Oooooo; FILHA DA PUTA!

Domingo passado, o editor chefe deste espaço determinou a minha ida ao Canindé para que produzisse mais um texto para cá. Como um bom funcionário, fui ao Portuguesa 2 x 1 Juventus, de 17/02/2013, e aqui está o meu trabalho:

Nesta ida ao Canindé, pela primeira vez, fiquei na torcida visitante. Na torcida do Juventus, na do Moleque Travesso.
A massa juventina é organizada pela Ju Jovem. Uma torcida não muito jovem, já tem seus 30 anos.

Como quem conhece um pouco do futebol paulista sabe; quem torce para o Clube Atlético Juventus não espera que seu time irá a Tóquio amanhã.

É uma relação mais tranquila. É claro que todos vibram, torcem, xingam. Mas não há o fanatismo violento que se vê por aí.

Eles têm um ambiente descontraído.

Olhe o Oooooo; FILHA DA PUTA! deles no vídeo:

É um clima agradável, leve, ameno; mas não deixa de ser futebol, de ter os tradicionais lugares comuns deste espaço.

Foi interessante justamente porque estou muito preso ao mundo do politicamente correto. Ali tive liberdade.

Vi mães, filhas, crianças de colo e até um japa da China, uma cara de turista. Um ambiente familiar, em que se pode xingar o juiz do jeito que sempre fiz sem ser podado.

O jogo em si foi uma típica batalha da Segundona do Paulistão.

Fortes emoções em virtude de bons e péssimos momentos de cada equipe que se alternam rapidamente.

Estes jogos são épicos, há momentos heróicos, Fubá, o zagueirão do uniforme grená e branco, arrancou do meio-campo e levou perigo para a Lusa umas duas ou três vezes.

Aliás, quer algo mais tradicional que um zagueiro chamado de Fubá!?

Mas acho que a Lusa foi um pouco portuguesa na partida.

O Juventus perde para pequeno e ganha de grande, é o Moleque Travesso. Assim, os  gajos se colocaram de uma forma perigosa neste campeonato.

São os deuses que escolhem o vencedor no final das contas. O time do Canindé não tem toda a culpa pela vitória arriscada.

O que eles fizeram para que a massa juventina tirasse uma onda com a origem dos adversários foi o fato de os ingressos terem acabado sem que a arquibancada estivesse lotada. Cheguei na bilheteria faltando 10 para o início e só entrei após os 10 iniciais da partida, faltou o papel para imprimir os bilhetes.

Mesmo sem o comecinho, o espetáculo foi completo. Teve muitos gols perdidos, ceras, faltas, roubos do juiz e uma confusão em campo no final da partida. A diretoria e jogadores juventinos ficaram putos com alguém da Portuguesa e o clima esquentou.

Esquentou mas não quebrou o pau e nem o clima da Ju Jovem. Outro vídeo:
O Lusa, Lusa, va' a fa 'n culo do final é o tradicional vai tomar no cu oferecido ao adversário de um jeito diferente, interessante.

Ciao,


4 comentários:

marcio cenzi disse...

espero que em breve o Nacional saia da Segundona e você possa cobrir o famoso clássico JuveNal

Sidarta disse...

O objetivo agora é a Lusa da baixada

Anônimo disse...

Estes são dignos de primeira Divisão, tem historia e tradição, não os times de supermercado e Prefeituras que grassam por ai. Todo apoio ao grito de guerra juventino;ODIO ETERNO AO FUTEBOL MODERNO.

Sidarta disse...

Acho que a A1 pode não ser boa o suficiente para estas instituições