terça-feira, junho 25, 2013

Festa em Miami

Semana passada, o mundo esportivo assistiu à exibição de uma das maiores equipes deste tempo.
Não me refiro ao passeio da Fúria sobre seus rivais na fase inicial da Copa das Confederações, mas ao Miami Heat, novo campeão da NBA.
Numa série de 7 jogos decidida apenas no último minuto, a equipe da Flórida superou o San Antonio Spurs, sagrou-se bicampeã e se candidatou a uma possível vaga na lista dos grandes esquadrões da história.
Lebron James mostrou o melhor de sua forma no último embate, acertando quando era mais necessário.
A partida decisiva foi nervosa e teve muitos erros. Uma das últimas falhas, a de Tim Duncan no minuto final, praticamente decidiu a vitória do Heat. Numa disputa apertada, a vitória por 95 a 88 representou a maior diferença no placar durante todo o jogo.
Para vencer, o Miami Heat contou com seu habitual trio de astros (James, Bosh, Wade) e a colaboração preciosa de Ray Allen e Mario Chalmers.
Do lado dos Spurs, o trio Ginóbili-Parker-Duncan sentiu o peso do tempo e errou mais do que a turma da Florida.
Se o destaque óbvio da decisão foi Lebron James, escolhido o MVP das finais, merece menção a atitude dos jogadores do Heat que, terminado o jogo, partiram para os cumprimentos aos adversários. Wade abraçou Duncan, James cumprimentou o técnico rival (Gregg Popovich). Mostraram, ali, que a superioridade se faz com técnica, mas também com respeito e reverência aos grandes adversários.
Por fim, não foi desta vez que um brasileiro (Thiago Splitter) se sagrou campeão da NBA, mas é bem provável que algumas dezenas de brasileiros tenham comemorado no ginásio de Miami.

Nenhum comentário: