quinta-feira, julho 31, 2014

Vitória de Pirro?

Ao que parece, ficou assim: as partidas de meio de semana continuarão marcadas para as 22h e, doravante, está garantida a continuidade das operações do Metrô por mais longuíssimos 11 minutos.
A solução encontrada pelos dirigentes (do futebol, do governo e da empresa) não suscitou grande repercussão, uma vez que a sensação é a de que pouco, quase nada, mudou.
É a típica situação em que os ganhos são poucos, não merecem comemoração.
Os onze minutos adicionais de transporte público não acrescem muita coisa para ninguém. Mais do que isso, mostraram as fraquezas de cada um dos envolvidos.
Os torcedores mais uma vez são tratados como elemento secundário no espetáculo; os clubes permanecem reféns dos horários impostos pelos programadores de tevê; os atletas continuam submetidos à rotina de jogos a cada três dias em horários tão díspares quantos as 16h e as 22h; o Metrô precisa rever sua logística, sacrificando tempo destinado à manutenção dos trens e prolongando a jornada de funcionários; o telespectador continua tendo sua paixão clubística submetida às cenas do próximo capítulo; os patrocinadores têm suas marcas vinculadas a um produto que, a pouco e pouco, vai se destinando ao ocaso da programação da madrugada; os políticos envolvidos evidenciam que planejamento não é forte de suas plataformas, pois o ministro, o governador e o candidato não foram surpreendidos com um evento inédito (jogos à noite) e, como solução, apenas improvisaram e torcem contra prorrogações e pênaltis; a tevê, que é a apontada como a grande vencedora e vilã, também ganha pouco, pois revela que ainda não sabe o que fazer com um produto que custa muito, dá pouca audiência (cerca de 18 pontos) para os seus padrões e que, nas mãos de outras emissoras, poderia prejudicar suas outras produções.
Para contextos em que o êxito é acompanhado de grandes perdas, costuma-se dar a alcunha de Vitória de Pirro, por conta e culpa de um rei que venceu a batalha mas perdeu boa parte de suas forças militares.
A julgar pelo frio das últimas noites, a manutenção dos jogos às 22h e a prorrogação dos serviços do Metrô propiciarão uma vitória do espirro.

Nenhum comentário: