terça-feira, março 24, 2015

CHOQUE-REI E A DESPEDIDA


         É impossível não nos lembrarmos do Choque-rei de 20 de março de 2002. A pintura de Alex é repetida inúmeras vezes nos dias que antecedem o clássico. Desta vez, não é diferente.
         Coincidência ou não, no sábado subsequente ao clássico haverá a despedida de Alex dos gramados. Ele, um dos melhores jogadores que já vi, foi contratado pelo Palmeiras junto ao Coritiba em 1997, com a missão de substituir “apenas” Djalminha e Rivaldo! E conseguiu...
         Dadá Maravilha disse: “Não existe gol feio. Feio é não fazer gol” Existem, contudo, as pinturas: gols como o de Alex, que dificilmente serão esquecidos, seja por palmeirenses, são-paulinos ou por qualquer amante do futebol! Prova disso é que há treze anos o tento marcado por Alex povoa as memórias daqueles que admiram os belos lances da história do esporte bretão.
         Na vitória de 1 a 0 do Palmeiras sobre o São Bernardo neste domingo, tivemos o gol de “puxeta” do Zagueiro Vitor Hugo. É o típico gol que vale mais do que os três pontos da vitória. E valeria muito mais, se fosse marcado num clássico como o Choque-rei desta quarta.

         É o que esperamos desse jogo: que seja digno de um Choque-Rei! E se possível, como uma forma de homenagear Alex, com algum golaço. Se depender de minha torcida, pelo lado do Palmeiras, claro!  

Nenhum comentário: