domingo, agosto 27, 2017

Sãopaulinização do elenco tricolor

O que acontece com o São Paulo Futebol Clube em 2017?

Qual o caminho para sair da parte de baixo da tabela?

Eduardo, o porteiro tricolor aqui do prédio, já está iniciando a aceitação da Segundona em 2018. Passo por ele e nem temos muito o que falar; frustração está sempre lá em nossas caras nos cumprimentos diários.

Como todos têm uma receita, aqui está a minha:


Precisamos mais jogadores líderes que construam uma identidade com a torcida e mantenham a equipe organizada em campo.

Não há como, é necessário mais gente dentro de campo que organize o time para as vitórias, busque a bola no fundo das redes do gol tricolor quando necessário e bote a equipe focada novamente para evitar outro gol.

Falta mais gente com personalidade que garanta que aquele triste empate de 0 a 0 no Morumbi não vire uma derrota no finalzinho.

Mesmo com a torcida contra, é preciso ter presença de espirito e consciência dos limites para fazer a equipe jogar pelo resultado possível.

Falta gente com liderança, discernimento e humildade para saber que a capacidade da equipe é pequena. Agora, garantir uma não derrota é ganhar.

Só temos Pratto fazendo ou tentando fazer esse serviço.

O Hernanes busca ocupar esse papel. Mas nunca foi muito a dele. Parece que ele aceitou o desafio de fazer esse trabalho. A conferir.

Não há pessoas assim, veja a equipe que entrou em campo no jogo passado contra o Avaí:

Sidão; Buffarini, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Petros; Marcos Guilherme, Jucilei (Jonatan Gomez), Hernanes e Cueva (Lucas Fernandes); Gilberto (Denilson).

Falta gente referência dentro de campo e respeitada pela torcida.

Pensando que Pratto e Hernanes façam bem esse papel no ataque e meio-campo, ainda faltaria alguém na defesa.

Rodrigo Caio seria o cara para muita gente, mas não conseguiu. Nem sei se ele quer ou alcançaria.

Ele nem pode mais agora. Em breve, uma dessas notícias sobre as vendas dele vai virar fato daqui a pouco e ele vai embora. Se o time estivesse bem, seria natural ele ficar até a Copa. Mas não é o contexto.

Amanhã, uma vitória na Rua Palestra Itália poderá dar aquela energia para entrar em uma boa fase, fazerem os jogadores pararem de sentir o peso da camisa tricolor e a equipa se estabilizar em uma melhor região da tabela.

Um jogo sem gols já será ótimo para mim.

Mas uma vitória mudará os cumprimentos que troco com Eduardo; e colocará um leve sorriso em minha cara quando passar por Cláudio, o porteiro palmeirense, que já começará a falar alguma justificativa envergonhada quando eu aparecer no corredor.

Se o SPFC ganhar amanhã, minha fala para Cláudio será:

-- Como o Palmeiras pode perder para um time que quer ir para a Segunda! Vocês estão atrapalhando os planos do Leco (o presidente do SPFC)!

Evitar o rebaixamento é o grande título a ser conquistado neste ano e é necessário lideranças para a conquista desse sucesso.

Abraços,



Nenhum comentário: