sexta-feira, julho 28, 2006

México e sua síndrome

Por qual motivo o Futebol mexicano continua a ser o velho e bom futebolzinho de sempre que todo mundo já viu? Os caras melhoraram bastante, estão a chegar nas finais e semi-finais da libertadores, têm umas partidas boas aqui e ali em jogos entre seleções; realmente, não como negar os progressos.

O que falta para o México ganhar uma Libertadores? Os times deles são bons, têm grana, torcida, a imprensa os apoiam e disputam um campeonato competitivo. Cadê o motivo? Para mim, só buscando uma ajuda na psicologia dos mexicanos, na cultura mexicana. Não que eu saiba tudo sobre esses temas; na real, não sei nada a fundo. Ou seja, especularei!

Teve um jogo que eu vi que os caras do México tiveram um título da Libertadores meio que “perdido” para o Boca com uma bela ajuda do ótimo Márcio Rezende de Freiras. Juiz contra é fato na Libertadores, o São Paulo sabe bem os dois lados dessa realidade, mas não explica tudo.

Acho que os mexicanos têm alguma síndrome de inferioridade perante os times com tradição maior que a deles. Claro que a construção de jogadores, times e uma cultura vencedora no futebol é trabalho de décadas. Mas o México tá nessa batalha e só consegue Títulos meia-boca.

Não gosto de inconsciente coletivo, acho que o inconsciente é algo bem individual. Eu posso sonhar em ganhar na loteria esportiva igual ao meu avó, mas as significações desse sonho para mim e para ele nunca serão as mesmas. Gosto das subjetividades separadas e autônomas.

Por isso, acho que do mesmo jeito que o homem brasileiro é bem mais machista que o holandês; há no México um medo injustificado espalhado por todos os lados: imprensa, torcedores, jogadores, técnicos... A manchete no Yahoo! Sports mexicano é um sintoma claro: “Libertadores: Chivas no se desanima ante resultado adverso”.

Cara pálida, desde quando imprensa esportiva é objetiva? Eles têm de vender o peixe deles lá do mesmo modo como a Globo Esportes também o faz aqui. Ou seja, só faz sentido uma linha dessas se o torcedor já não tiver a mesma esperança que tinha antes da derrota. Menor interesse é menor audiência na TV, menor número de visitas na internet... Menor receita publicitária, no final das contas. Só se fala que o cara não se fudeu de alguma forma se ele, efetivamente, correu o risco de fuder-se.

Acho que já escrevi demais. Deu para pegar a minha impressão.

Abraços,