segunda-feira, agosto 07, 2006

O Brasileirão forte vai ser a NBA, fundamento Econômico!

Já falei sobre esse meu sonho: um Campeonato Brasileiro com times fortes. Onde se primará em vender as imagens das partidas e não em jogadores.

800 milhões de novos consumidores (Matéria da Exame sobre os BRIC – Brasil, Rússia, Índia e China)

Li essa matéria hoje, tá (ou tava) lá no portal do UOL, anunciada em manchete, trata da perspectiva econômica desses países. Segundo os consultores e analistas, os E.E.U.U. vão ficar para trás junto com o Japão e a Alemanhã. Lógico, seguindo a tradição, o Brasil ficaria por último na fila dos BRIC.

Uma nova onde de consumidores de classe média entrará na cadeira de consumo brasileira. Onde os estimados 120 milhões com renda superior à U$ 3000,00 anuais irão gastar essa graninha em 2015? Com celulares? Com viagens? Com roupas?

Por que não com futebol? Ou melhor, com um fenômeno cultural bem brasileiro?

Acho que o César da CBF disse que irá manter as regras de descenso e acesso que valeram no ano passado e as acordadas para este ano. Isso é importante para que o produto Campeonato Brasileiro ganhe credibilidade e cognocibilidade. Uma criança de 10 anos e um senhor de 60 precisam entender o que vai acontecer e confiar nas regras para queiram gastar uma graninha nisso.

A Globo é a grande dona da imagem do Campeonato Brasileiro atualmente, até onde sei. Essa situação é boa para quem? Quem ganha com esse monopólio? Não acho, claro, que exista um mensalão do futebol, não sou a esperta da clone da Soninha. Contudo, não boto a minha mão no fogo por ninguém.

O Futebol do Brasil deve ser vendido para o Mundo todo em vários meios e canais de comunicação. Para isso será necessário uma profissionalização da administração desportiva melhor que os KIA, os Teixeira, os Figger et caterva.

Obviamente, não proponho nenhum sonho coletivo, socialista, psicodélico ou utopista. É uma idéia capitalista que permitirá que uma habilidade muito presente entre os brasileiros dê uma boa grana a muita gente por aqui mesmo. Acho que dá para ganhar mais grana com um modelo de negócios menos paleolítico vigente, só isso.

O sonho tá ai! Já escrevi no blog, agora é só rezar.

Abraços,