quinta-feira, setembro 14, 2006

Que pedra no lago que nada

Nada de pedra no lago nestas eleições.


Mas porque?

É simples, no final das contas, quem decide o que é fundamental e duradouro no Brasil são os cortadores de cana, as lavadeiras e os camelôs. São eles quem mantêm os sotaques, os gostos e o jeito de ser nossos.

O futebol é o grande exemplo de que o gosto do povo é o que define quem nós somos. Se os brasileiros não pegassem gosto pelo jogo de bola, não haveria a identificação que há entre o País e a Seleção.

Vejam, então, este fato: "Entre 2002 e 2004, os 20% mais pobres da população tiveram um aumento de renda de 33%, ou seja, cerca de 10% ao ano. Deste total, 22% é explicado por programas de transferência de renda e 8% pelo aumento real do salário mínimo. (...) 70% se refere ao aumento do nível de emprego e dos salários reais.(Economista da PUC-RJ - Márcio Camargo)"

O Lula e a MSI injetaram grana no bolso do povão e no elenco do Timão. Deste jeito, os dois têm muito crédito. Assim, não há esclarecidos que revertam estes fatos.

Abraços,