quinta-feira, outubro 05, 2006

Evo Morales marca 3 gols e o Dentuço chora

O Evo pode ser muito criticado pelo Estado de São Paulo da Bolívia, Santa Cruz de La Sierra; mas com um desempenho de Romário, não haverá mais como os bolivianos reclamarem do seu Chefe de Estado. Já o Ronaldinho não gosta de ser atropelado pela sua imagem pública.

Vejam as notícias: Evo Morales marca 3 gols contra time da imprensa em La Paz e "Não sou máquina", diz o atacante Ronaldinho (gaúcho).

Não tem jeito, é muito como o dito popular esclarecia: quem tem fama, deita na cama. O craque do Barcelona F.C. não chegou a se considerar como quem iria superar Pelé sem que nenhum amigo de verdade lhe avisa-se que dar um passo maior que perna é fria, agora güenta.

Já o mais autêntico e legítimo líder da América Latina que amarga uma tarefa inglória, defender os que não sabem que devem ser defendidos, vem às páginas esportivas com um factóide muito interessante.

Primeiro, um cara que marca três gols merece destaque, seja numa Copa, seja numa pelada, quanto a isto não há o que se falar.

Segundo, mais sutil, é a disputa entre Evo e a Imprensa. Algo um pouco similar ao que acontece aqui. De um lado uma Imprensa que se esconde atrás de uma imparcialidade questionável e um Presidente que não conseguiu ser o que prometeu. Os dois lado tem erros e qualidade, mas, nunca, as cagadas do Lula justificam a credibilidade que o Estadão pretende ter.

Onde o Ronaldinho entra nesta história? A mesma Imprensa a la Galvão que puxa o saco do cara descaradamente quando ele está bem e o largará assim que ele pisar na bola. Faz isso porque "cobrir" só o camisa 10 do Barça é bem mais fácil do que ir atrás de um craque em um lugar longe, fora de mão. Por que será que os grandes times das capitais brasileiras tem imensas hordas de torcedores pelos interiores do Brasil a fora.

Ai é que está, bem mais focado que do Lula, o Evo foi para o pau pelos pobres e isso é complicado, muita gente não quer largar o osso para dividir com os que têm menos. A Imprensa gosta de quem compra jornal o resto é secundário, é notícia. Ou seja, dar notícia contra os interesses aos quais os donos de jornais e demais meios de comunicação é muito difícil. O amor à verdade, à notícia e aos fatos tem limites; primeiro vem o amor a si mesmo e aos próximos. Imparciais só Deus e São Pedro na Porta do Céu.

Quem quer ver mais do campeonato disputado entre Evo e a Imprensa, que teve uma vitória de goleada do Índio nessa rodada, aqui tem mais: El Presidente se queja de los periodistas.

Abraços,