quarta-feira, novembro 01, 2006

A Portuguesa deixou de ganhar mais uma


É, como está a ocorrer por durante toda esta 2a Divisão do Campeonato Brasileiro de 2006, mais uma vez, a Lusinha deixou escapar-lhe a vitória outra vez.

Tudo bem que o juizão não foi o mais imparcial possível. O árbitro, na minha opinião, tendeu para o time com maior torcida no Canindé, o Galo Mineiro. Ontem, quem ia com a camisola da Portuguesa tinha um desconto no preço do ingresso. Mas é uma má fase de proporções ultramarinas que tira qualquer capacidade de reação do torcedor.

Em muitos jogos que a Portuguesa perde em casa, a torcida segue mais ou menos o seguinte roteiro:

1) Começa apoiando, mais meio ressabiada, descrente;

2) O time perde umas boas chances de gol e uns já parte para a fase do xingamento;

3) Quando menos se espera, sai um golo que os portugas comemoram;

4) O jogo se torna meio indefinido, aberto, não há esquemas ou jogadores capazes para segurar um resultado;

5) E, por fim, a Lusinha toma um ou dois gols do adversário em casa e seus torcedores ficam em silêncio, desanimados.

Até onde vai esse time do Canindé? Não sei.

Mas depois de olhar a tabela de classificação após a trigésima terceira rodada, vejo que o 1o time a cair, se a segundona acabasse hoje, o São Raimundo, tem só 37 pontos. Ou seja, são só 2 a mais que a Portuguesa. Ainda dá para eles sairem dessa draga e honrarem Dom Sebastião.

Por mais que o time lusitano não tenha um centroavante, precisam rezar, chutar muito ao gol e fechar bem a defesa. Acho esse pontos em conjunto podem livrá-los do Bahia no ano que vem.

Abraços,