quinta-feira, março 29, 2007

Na Cal Futebol Clube e o Projeto Fernando de Noronha

Lá na minha longínqua adolescência, a palavra projeto foi incorporada ao universo futebolístico. A diretoria do Tricolor Paulistano teve a galhardia exitosa de lançar este conceito. Não houve muitas replicações desse modelo. A passagem da Parmalat pelo Verdão não é uma ação congênere porque não deixou raízes. O Inter, no sul, o Atlético, no Paraná, e o Goiás são times que tentam seguir os passos são-paulinos. Mas falta-lhes a punjança econômica e de capital humano que há sob o cinza paulistano.

Cá, aqui no nosso humilde blogue, temos as nossas pretensões. Mas não limitar-no-emos a um William Randolph Hearst qualquer. Aqui há ambição desportiva-turística.

Assim sendo, nosso projeto-tóquio tem um tempero e ambições bem ao estilo do pernabucano Gilberto Freyre. Cá, há o PROJETO-FERNANDO DE NORONHA. O arquipélago pertence ao Estado de Pernambuco desde de a Constituição de 88.

Já tinha um carinho todo especial pelo melhor intérprete do Brasil. O cara escreve muito bem, do ponto de vista formal, e sabe amarrar seus pontos de vista de forma muito consistente. Agora que faço Letras na USP, onde muitos analfabetos funcionais, que são chamados de professores, o odeiam. Tenho uma consideração toda especial pelo melhor intérprete do Brasil. Fazer uma segunda facu tem seus momentos interessantes. Falar no 1o ano que o Gilberto Freyre sabia escrever e o Florestan Fernandes é muito interessante.

Bem, voltando ao futebol nosso de cada dia: um ainda dia ganharemos o Noronhão. Aguardem! Será um período de férias que uma renca de conhecidos meus irão às mais bonitas ilhas da costa brasileira, inscreveremo-nos e ganharemos o torneio disputado no Distrito Estadual de Fernando de Noronha.

Abraços,