quarta-feira, março 07, 2007

Obina e o jornalismo picareta

O Obina é carismático, trombador e tem sorte. O torcedor apaixonado tê-lo como ídolo é normal. Afinal, é uma ligação eminentemente emocional que está em jogo.

Contudo, no entando, por outro lado, quando o departamento esportivo da Rede Bobo começa a usar uma página informativa para tentar tirar uma casquinha do lance que rola entre o Obina e a Torcida do Flamengo, fica complicado.

Jornalismo esportivo, por mais que não pareça, ainda deveria ser, antes de tudo, jornalismo. Espetáculo, entretenimento e diversão são conceitos presentes no futebol. Mas quando um repórter mistura as bolas, o caldo entorna.

Olhem a manchete: Dieta faz Obina passar fome. Menos, muito menos. Esse tipo de apelação não fica bem. Nada bem ter essa notícia e um espaço para que o torcedor mande uma mensagem eletrônica para o jogador. Bota, então, o Faustão para comandar o esporte. O cara entende tudo de espetáculo, de pedantismo e futebol (ele foi repórter de campo).

Abraço,

P.S. esqueci-me, o brasileiro Fred também aprontou uma na Copa dos Campeões. Ele deu uma cotovelada num cara romeno do Roma.