terça-feira, março 27, 2007

Quarta-Feira


Quarta-feira o Santos encara o time da marginal em situação semelhente, desgastado e com importantes desfalques no meio de campo; Cléber Santana, Maldonado e Kléber lateral.

Mais uma vez será um jogo diante de uma equipe que luta contra a morte prematura no torneio, para os gambás a vitória é a única saída, para o peixe até mesmo a derrota o mantém na liderança isolada.

O Santos joga na Vila mais uma vez preocupado com a torcida adversária, sempre incubida de prejudicar os mandos de campo para o Vila Famosa. A verdade é que os adversários sentem a pressão no caldeirão, não tem como ser diferente.

A Vila é puro calor humando, não possui a frieza dos estádios amplos e gélidos. Onde a torcida mal enxerga seu ídolo, onde é preciso esforço óptico para ler o número na camisa do atleta ou decifrar a cor do cartão retirado do bolso do juiz.

Quem já foi a Vila sabe o que estou falando, apesar de nos últimos anos o estadio ter sofrido algumas modificações, ainda é um imenso prazer contemplar a uma partida de futebol no Urbano Caldeira, é como assistir a um espetáculo num clube privê, é como ir a Buenos Aires e assitir ao um show de tango nos bares do antigo bairro de San Telmo, com dançarinas entre as mesas.

Que quarta-feira os espectadores tenham a sorte de assistir a um grande espatáculo de dança. O palco agradece!


Rafael