sexta-feira, abril 20, 2007

Cadê o ataque?

Está complicado, muito complicado. E os jogadores não entendem as vaias! O empate heróico contra o Real Potosí na altitude da Bolívia foi muito mais significativo do que o magro 1x0 anteontem no Maracanã.

Mais do que nunca, o Flamento sente a falta de Obina, um atacante finalizador objetivo e preciso. Será que não está na hora do Ney Franco sacar o Roni, até mesmo para preservá-lo da torcida?

E nos juniores? Existe algum atacante à altura de vestir o Manto Sagrado? Parece que sim, mas ainda falta maturidade.

Se continuar assim, o Flamengo não ganha o Carioca nem se a Cabofriense vencer a Taça Rio.