terça-feira, abril 15, 2008

Quod principi placuit habet legis vigorem

O gol manual de domingo passado rendeu papos nos bares, escolas, jornais... Todo mundo viu e já está cansado dessa história.

Mas, contudo, no entanto, acho que ainda há como explorar o tema.

Meio estranha a reação que os palmeirenses tiveram diante do gol manufaturado do Imperador. Principalmente, em função da crise político-econômica que a Itália atravessa a séculos. O drama que a pátria-mãe dos palestrinos ficou evidente na eleição, pela 3a vez, do Dono do Milan para Primeiro-Ministro da nação.

Desde que o Império Romano ruiu, a Bota nunca mais deu as cartas no Mundo. Essa verdade não pode ser ignorada pelos oriundi.

Durante a época imperial romana, não havia muita discussão, vigorava a seguinte regra:
quod principi placuit habet legis vigorem
(Aquilo que agrada o príncipe tem força de lei)
Pode ser dito também que The King can do not wrong ou Le roi ne peut mal faire.


Não é preciso voltar ao passado, mas não se pode ignorar os fatos históricos, é complicado.

Assim, há toda uma hierarquia histórico-simbólica de uma via latina vitoriosa que deve ser respeitada pelos que criticam o Imperador atual.

Eu, modestamente, comi uma macarronada, feita pelas minhas mãos não tão talentosas, em homenagem ao craque.

Afinal, acho que o nosso futebol é um dos melhores argumentos que fundamentam as idéias de Darcy Ribeiro. Esse brasileiro disse que nós somos, mesmo, é uma nova Roma.

Arrivederci,