segunda-feira, agosto 25, 2008

COB ouro no sofismo

Acabou o meu semi-retiro do Na Cal, não haveria como não falar da desventura olímpica brasileira lá em Pequim.

Para não falarem que sou chato e tals, aqui está o que o Presidente do COB disse:

A presença de um maior número de atletas e de modalidades em finais olímpicas indicam a evolução qualitativa do esporte brasileiro nas últimas quatro edições dos Jogos Olímpicos. (Carlos Arthur Nuzman)

O primeiro mandatário do nosso Comitê Olímpico se esqueceu de mencionar o quanto custou o sucesso que ele e outros poucos sentiram. Pois, fui e você, que também é cidadão brasileiro, quem pagou as viagens à Pequim.

No sítio do COB não há qualquer sinal de prestações contas. Sei que ainda está cedo para isso, mas o fato financeiro está dado:
AtenasPequim
DindimR$ 90 milhõesR$ 160 milhões
Finais3038
Custo por FinaisR$ 3 milhõesR$ 4,2 milhões

Os ouros, as medalhas ou as finais que a equipe brasileira conquistou lá na China não cresceram nada perto da taxa de 70% que cresceu a verba que o COB recebe da Viúva.

Prefiro receber mais por menos dinheiro que sai da minha carteira e não o inverso. Não creio que o Nuzman pense diferente quando tira algum dos seus bolsos privados.

Abraços,