quinta-feira, agosto 06, 2009

Mamonas e Smith no Brasileirão



Não há as castas dos futebóis europeu por aqui no Brasileirão. Por mais que falem que o Tricolor paulistano e outros estejam a um nível acima, o que explica os resultados de hoje?

O escocês Adam Smith acertou em cheio quando defendeu a competição como a melhor maneira de obter os melhores. Veja:

It is not from the benevolence of the butcher, the brewer, or the baker that we expect our dinner, but from their regard to their own self-interest. We address ourselves, not to their humanity but to their self-love, and never talk to them of our own necessities but of their advantages.

É lógico, tal como é no futebol brazuca, a competição não pode ser injusta. Por exemplo, o gênio é contra o monopólio. Há regras nos jogos. O cara, de novo:

A monopoly granted either to an individual or to a trading company has the same effect as a secret in trade or manufactures. The monopolists, by keeping the market constantly understocked, by never fully supplying the effectual demand, sell their commodities much above the natural price, and raise their emoluments, whether they consist in wages or profit, greatly above their natural rate. The price of monopoly is upon every occasion the highest which can be got. The natural price, or the price of free competition, on the contrary, is the lowest which can be taken, not upon every occasion, indeed, but for any considerable time together.

Aqui não há um real, como na Espanha, ou ums oligopoliozinhos, como na Itália ou na Inglaterra de hoje em dia. Por isso também que os nossos jogadores são melhores, sempre tem um suposto grande a levaire uma derrota de um não eleito grande pela impressa desportiva.

Os favoritos de algum tempo atrás estão a rodaire feio hoje em dia e quem estava por baixo ontem tá por cima hoje.

Abraços,