quinta-feira, janeiro 14, 2010

Medial II - la misión

O texto O Corinthians não deu sorte pra Medial, como é muito natural, causou uma certa polêmica por aqui no mundo virtual e lá fora também.

Recebi algumas críticas. Então, vamos a elas:

- Colocam que seria necessário os balanços da Medial e tals.

Pra provar o quê? Se a Medial tivesse indo bem, ela teria comprado a Amil. Ou será que o dono da Medial vendeu sua empresa porque tava cansado de trabalhar e queria ficar só assistindo as partidas de futebol do mundo todo pela tevê a cabo?

Se a Medial tivesse um balanço bom, não teria sido vendida. Ou há alguma dúvida?

- Em vez de pensar pelo lado da Medial, pense pelo da Amil meu caro. A empresa que mais cresceu no setor, e agora comprou uma empresa que vinha em expansão aumentando ainda mais seu portfólio.

Ou seja, meu caro, havia duas empresas crescendo e uma tinha mais bala na agulha que a outra. O quê a outra, a comprada, fez? Botou todo a sua publicidade no Corinthians.. Quem ganhou a parada?

- Aliás, a compra de planos de saúde uns pelos outros é uma coisa mais do que comum no setor.

E eu disse que não era? E veja-se que esse dado colocado no comentário crítico é bumerangue. Se é comum as compras de empresas de planos de saúde, umas pelas outras, a Medial tinha que ter olhado com mais tranquilidade, refletido mais... essas coisas.

Aliás, um corinthiano roxo do serviço, criticou meu texto, mais ou menos na linha deste comentário:

- sei que a neura sãopaulina pelo Corinthians é patológica, mas chega a ser engraçado.

Depois de o colega colocar esse ponto e mandar uma piadinhas contra os torcedores do Tricolor, ele colocou uma idéia bem interessante e crítica à ação da Medial. Seu ponto é o seguinte:

- Eu comprei muito produto Batavo e os palmeirenses compraram muita coisa da parmalat, mas comprar plano de saúde por causa de um time de futebol é bem diferente.

Porra, o cara tá certíssimo! Um iogurte, um litro de leite pode lhe dar uma caganeirinha no máximo, mas vai comprar um plano de saúde em função da sua paixão futebolística!?!

Não tem o menor cabimento fazer um trem desse. Não que a Medial tivesse péssimos serviços de saúde. Mas não rola escolher o plano de saúde da sua família em função de um time de futebol.

Depois vem um muito interessante:

- Super coerente a análise, especialmente porque nela não existe a crise mundial de 2009, só existe o patrocínio do Corinthians "um dos maiores do mundo".

Outra pseudo-espinafrada que teima em voltar pra quem me mandou. Ou por um acaso a crise mundial de 2009 atingiu só a Medial ou só ao Corinthians ou pegou todo o resto do Mundo?

Porque, se foi um crise mundial; foi, então, uma crise democrática que afetou a todos.

Aliás, não foi o corinthiano-mandatário da Nação que falou que a crise seria só uma marolinha por aqui?

Abraços,

14 comentários:

Anônimo disse...

Risível. Saiu pela tangente.

Pergunta direta: Você procurou os balanços financeiros da Medial e da AMil nos anos de 2007, 2008 e 2009? Sim ou Não?

Não provou nada e veio com bla bla bla bla bla.
Sim, traga números para comprovar suas tese meu caro. Conversa de bar é sempre conversa de bar.
Dizer: não preciso mostrar os números significa dizer: "CHUTEI. Não conheço o assunto, mas falo com a maior propriedade. Quem for trouxa que caia no meu papo".
E como é comum nesse meio de blogueiros, jamais dará o braço a torcer sobre o chute, a barrigada.
Você pode estar certo quanto à sua teoria, nada impede. Mas seja sério e honesto intelectualmente. Mostre os números meu chapa. Mostre o balanço financeiro da Medial nos exercícios de 2007 (antes do Corinthians), 2008 (durante o Corinthians) e 2009 (depois do Corinthians). Faça o mesmo com os da Amil. Sei que é difícil para um bambi, mas desça do salto alto, e vá busca a informação antes de ficar falando groselha. Seja humilde e procure aumentar seu conhecimento sobre o assunto. E divida a informação conosco, pobres mortais que não estamos à altura de tão soberba e brilhante mente.
É tão patética a réplica que coloca a Amil e a Medial no mesmo patamar. Com base em que? Outro chute? Outra barrigada?
Quer falar sobre economia, leia um pouco do caderno de economia de vez em quando. Lhe faria bem.
Esse "não preciso mostrar nada" só evidencia a arrogância de quem pouco sabe e não admite.

Anônimo disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHA. Sabe tudo de marketing esse aí.

"- Eu comprei muito produto Batavo e os palmeirenses compraram muita coisa da parmalat, mas comprar plano de saúde por causa de um time de futebol é bem diferente.

Porra, o cara tá certíssimo! Um iogurte, um litro de leite pode lhe dar uma caganeirinha no máximo, mas vai comprar um plano de saúde em função da sua paixão futebolística!?!

Não tem o menor cabimento fazer um trem desse. Não que a Medial tivesse péssimos serviços de saúde. Mas não rola escolher o plano de saúde da sua família em função de um time de futebol"

Minha nossa, quanta asneira.

As empresas usam veículos para expor a respectiva marca. Precisa ser muito amador e mirim para achar que o objetivo da empresa é tão somente conquistar o torcedor do time que está sendo patrocinado.

Por essa lógica brilhante, nenhum empresa jamais iria patrocinar um veículo como uma equipe esportiva. Pois, estaria restringindo seu público consumidor. Afinal, a soma dos rivais é sempre maior que a de um único time. E aí o patrocínio geraria prejuízo e não lucro.

Você é um brincalhão!!!!!!

Sérjão disse...

Magro, eu não acho que você é um brincalhão. Eu acho que você é Deus.

Sidarta disse...

O cara anônimo deve ter uma tara por balanços tal qual a q falou que os caras da veja têm com o Lula.

Eu não vou fazer porra nenhuma que ele sugere.

Se ele acredita mesmo em balanços, p q será q mandaram a Lei Sarbanes Oxley depois da Enron mesmo?

Tive a honra de lidar com uns balanços de um banco e suas subsidiárias no final dos anos 90, não tinha umas coisas muito bonitas por lá.

Se o povo acha q tá a faltar isso ou aquilo aqui, podem trazer.

Mas a mais interessante é essa manezada: As empresas usam veículos para expor a respectiva marca. Precisa ser muito amador e mirim para achar que o objetivo da empresa é tão somente conquistar o torcedor do time que está sendo patrocinado.

Eu falei o q o meu amigo me falou. E vão dizer q isso não acontece? Por um acasou eu disse que só acontece isso?

Por essa lógica brilhante, nenhum empresa jamais iria patrocinar um veículo como uma equipe esportiva. Pois, estaria restringindo seu público consumidor. Afinal, a soma dos rivais é sempre maior que a de um único time. E aí o patrocínio geraria prejuízo e não lucro.

Mas não gerou o lucro esperado..rs.. E ,os outros cases (não é assim q os povo entendido fala?), não teve nenhuma empresa q botou todas as fichas num veículo de comunicação só.

Se os tímidos ou tímido anônimo quiser me trazer os dados que, segundo ele, provariam q tou errado, terei muito gosto em publicá-los aqui com todas as honras e me retratarei.

Mas se for só pra falarem que eu sou isso ou aquilo... perderam o palco.

Sérjão disse...

Você continua um Deus pra mim!

Milton disse...

É, deus.

Anônimo disse...

Não tenho que lhe trazer nada meu caro. Você é que lançou uma teoria pueril sem provar bosta nenhuma e covardemente se esquiva com muito bla bla bla.

Desisto de perder meu tempo com quem dá barrigada e não assume.

Aliás, segundo você, o Banco Real estava prestes a falir, afinal foi vendido ao Abn Amro, que também deve estar à beira da falência, já que foi comprado pelo Santander.

Rísivel.

Anônimo disse...

Ah, esqueci. Até agora você não disse quais eram - antes de patrocinar o Corinthians - os veículos de comunicação da Medial. Eu lembro de comercial da Amil, eu lembro de comercial da Blue Life, eu lembro de comercial da Golden Cross.

Antes do Corithians, você já tinha ouvido falar em medial de que jeito?!

Mas eu sei que vai vir outro bla bla bla e não virá resposta.

Sidarta disse...

Hehehe....

Acho que vou chorar com estas críticas. Snif-snif-snifsss...rs...

Se vc não curtiu... beleza!

Viva feliz com os seus valores. Mas não venha querer me pautar. Isso é pueril.

Abraços,

Anônimo disse...

Começou a censura. Prova cabal da falta de argumentos. Hahaha.

Sidarta disse...

Se o Anônimo irritadiço entender tanto de balanço qto domina a língua portuguesa, fica ainda mais ridículo esse falatório do cara.

Então, na cruzada contra a ignorância do vernáculo, ai vão as definições:

Pautar: (...)3. Jorn. Programar (assunto) para edição de jornal, noticiário de televisão etc. [td. : O editor pautou a enchente para a primeira página.]
4. Moderar, controlar, regular. [td. : pautar os gastos antôn.: Antôn.: descontrolar. ]
5. Orientar, adequar, nortear. [tdr. + por : Os adolescentes pautam sua conduta pela dos pais.]


cen.su.rar: 1. Desaprovar ou criticar algo considerado ruim, defeituoso; avaliar algo ou alguém negativamente, chamando atenção para defeitos, falhas etc; considerar algo ou alguém de modo crítico ou desaprovador [td. : censurar um texto (pelos erros gramaticais): O crítico literário censurou os deslizes de uma obra renomada.] [tdp. : Censurou -a de irresponsável.]
2. Repreender vigorosamente; estigmatizar (o procedimento de outrem) [td. : Censuraram -no na frente de todos (por sua irresponsabilidade).] [tdi. + a : Censurou o procedimento desonesto ao sócio.]
3. Exercer censura sobre, proibindo ou limitando a atuação, divulgação, exibição ou execução de [td. : censurar a imprensa] [tdi. + a, para : censurar um filme para menores de 16 anos]
4. Repreender vigorosamente; estigmatizar (o procedimento de outrem) [td. : Censuraram a peça em tantas cenas, que o texto ficou incompreensível.]
[F.: censura + -ar2. Hom./Par.: censura (s) (fl.), censura (s) (sf.[pl.]).]


Fonte: http://aulete.uol.com.br/

Não pro anônimo, que não se conforma por eu não deixá-lo pautar este blogue; mas pra quem mais tiver vendo esse debatizinho ridículo:

Onde eu censurei o ser humano?

E nem adianta apagarem as mensagens, tá tudo guardado na minha conta e no meu e-mail.

Respeito a sua opinião, só que os seus argumentos, , não me convencem do mesmo jeito que os meus não lhe fazem mudar de idéia. Então siga feliz daí que e eu vou tocando minha vida daqui.

Anônimo disse...

A tentativa barata de desqualificar o debatedor. A ironia do dicionário. Saímos do pueril para o fraldinha. As mãos começam a tremer.

Disse que começou a censura pois meu último comentário "estranhamente" sumiu.

Agora vamos aos fatos.

Blogueiro lança uma teoria mais ou menos assim "A Medial quebrou por causa do Corinthians".

Um leitor com leve capacidade intelectual, pede que ele comprove sua tese.

O blogueiro não comprova sua tese, fundada como ele mesmo dissera, em conversa de bar. Pelo contrário, tenta desqualificar o leitor (como se isso fizesse prova de alguma coisa). Diz que está sendo pautado, o que é mais uma tentativa de tangenciar.

Esquece o blogueiro, ou não leu, que este anônimo disse: 'você pode estar certo, apenas prove' pois falar é fácil, até papagaio fala.

Em vez de provar, o blogueiro vem dizer "eu já trabalhei com balancetes", "balancetes não provam nada" bla bla bla.

Não há uma antagonismos de idéia. Embora o blogueiro não tenha percebido, não há oposição entre a tese dele "A Medial quebrou por causa do Corinthians", com a tese do leitor.

O embate que aqui se deu foi entre uma tese sem nenhuma prova, baseada em conversa de bar, com um leitor que conhece dicionários e vê o desespero do blogueiro em se mostrar superior, sereno e bem humorado (embora não seja muito convincente nisso), lançando mão de ironias baratas, mais uma vez pueril.

"Respeito a sua opinião, só que os seus argumentos, , não me convencem do mesmo jeito que os meus não lhe fazem mudar de idéia. Então siga feliz daí que e eu vou tocando minha vida daqui".


Claro que seus argumentos não me convencem. São completamente vazios e quando instigado a provar, o senhor fugiu. Disse que não tinha que provar nada e depois partiu para tentativa de desqualificação do interlocutor e das provas.

O meu argumento é que o senhor não fez prova do que disse. E sim ele te convenceu, afinal, foi o senhor que disse que não tinha que provar nada. E aí está a maior prova do quanto meu argumento o convenceu. Eu disse 'prove', e o senhor respondeu 'não tenho que provar', 'essas provas não vale', 'nada vale', 'só o que vale é a minha opinião e a opinião do meu amigo de bar'.

Em vez de enrolar bastava o senhor ter ido atrás da demonstrar sua própria tese. Como disse antes, o senhor pode estar certo, só precisa comprovar, pois 'meu amigo me disse no bar' não é argumento sério de quem se propõe a escrever com ares de alguma superioridade. Menos intelectual, e mais intelectualóide.


Se o senhor não tem nada a ver com o sumiço do comentário anterior, retiro o comentário sobre censura. Não tenho problemas em assumir algo de errado que tenha feito. Pelo menos alguém, nesta discussão não tem, né? Porém, eu postei e ele não está mais lá.

Sidarta disse...

Nem sei direito pq eu perco tempo com esse hoax anônimo. Mas, de qualquer modo, não dá pra deixar ser ficar zoando a minha pessoa aqui, pelo menos.

Vamos lá:

A tentativa barata de desqualificar o debatedor. A ironia do dicionário. Saímos do pueril para o fraldinha. As mãos começam a tremer.

Isso é só a opinião dele e respeito. Não fico triste se não ele gostou do que escrevi. Não tem problema ele achar q sou um bacaba pro gosto seu.

Disse que começou a censura pois meu último comentário "estranhamente" sumiu.

Isso, por outro lado, é mentira. Nunca apaguei nenhum comentário dos seus contrários ao meu texto.

O cara diz q apaguei e eu digo que não. Cada um acredite em quem quiser, simples assim de novo.

Não sei ele entendeu certo ou não. Mas escrevi que não adiantaria ele apagar o q escreveu pq tenho aqui no meu e-mail.

Depois, me vem com um: Se o senhor não tem nada a ver com o sumiço do comentário anterior, retiro o comentário sobre censura.

P q não perguntou educadamente antes isso tb? Precisa acusar antes p q?

Um leitor com leve capacidade intelectual, pede que ele comprove sua tese.

Como assim cara-pálida? Pede? Cê tem certeza que vc pediu? O cara chega tacando pedrada e quer pagar de educado agora...

Dai o cara me vem dizendo que acha que sou isso e aqui, q meus argumentos são isso e aquilo. E mesmo aceitando que vc tenha somente pedido pra eu ir lá nos balanços. Eu falei não e vc ficou todo incomodado.

Quem, como vc, achar q eu tenho q arder no fogo dos infernos pq não comprovei a minha tese, blz!!!

Quem achar q o q eu falei tem uma mínima viabilidade, apesar de ser conversa de bar, ótimo tb.

Por fim, como não poderia deixar de ser, pra não perder a coerência, deixem-me lancar mais ironias baratas, ser pueril de novo, marcar minha linha intelectualóide:

Entre um conversa de bar com um amigo e um debate com um anônimo que adora me desqualificar e ama me ofender; por qual razão do mundo eu deveria gastar meu tempo olhando os balanços da Medial pra agradar um ser tão agradável?

O corinthiano do bar não tem medo de uma cervejinha comigo. Só isso já separa o jôio do trigo.

Tem cada maluco na internet... putz...rs..

Vai lá anônimo: vc é um disco riscado... pode repetir seu papo agora...rs... mas, de antemão, saiba que não vou fazer nada q peça em função dos seus bons modos.

Vá tentar pautar outros blogues por ai.

Anônimo disse...

Uns tem o mantra do OM

outros o mantra do "não venha me pautar".

E quanto mais falam, mais enrolam e fogem.

Sento em mesa de bar com amigos, você não é meu amigo, é só um blogueiro. Nem o conheço. Fosse meu amigo, e estivesse na mesa do bar, diria a mesma coisa. Falou prove. Demonstre.
Se perde seu tempo é porque te incomoda que alguém não puxe o seu saco, embora negue.

Toda sopa tem sua mosca. zzzzzzzzzz.