segunda-feira, julho 02, 2007

Kaká e Gaúcho não fazem falta

Estou pensando em colocar um ex-voto na minha janela: "Agradeço a Dunga a graça de um domingo livre."
Se o Campeonato Brasileiro não é dos melhores, o selecionado consegue ser ainda mais desinteressante. Como ontem não tinha jogo de clube nem aqui nem lá fora, a tarde de domingo serviu para ler e organizar a estante. Da próxima vez, arrumarei os discos. E assim Dunga vai me ajudando a dar um jeito na casa.
Terminei de arrumar os livros a tempo de ver os quinze derradeiros minutos da peleja. E, pelo que li e ouvi depois, não perdi muita coisa.
Olhando a escalação e o resumo do jogo, percebi que Dunga não sente a ausência de Kaká e Gaúcho. Por um motivo simples: eles não fazem falta. Quem faz falta é a trinca de volantes Gilberto Silva, Mineiro e Elano (que falta feia!, vai desfalcar o Palmeiras).
As duas alterações que Dunga fez (Maicon por Daniel Alves não é substituição, mas correção) trouxeram mais dois, pasmem, volantes. Sim, para garantir o 1x0, Dunga levou a campo Jozezé de Camargo e Júlio Baptista (atacante de ocasião, volante por vocação).
Robinho, esse revoltante, cismou de fazer gol e acabou com o trabalho do treinador.
O que lamento é que tanta gente que caberia nesse time tenha já encerrado sua carreira: Dinho, Ezequiel, Pintado, Dunga. Ah, poderíamos naturalizar o Mancuso!