sexta-feira, fevereiro 08, 2008

O jogo da seleção ainda

Ao assistir àquele joguinho enroscado de quarta, escutava o locutor e comentaristas da rede bobo falarem que o quê eu via não era real. Diziam que a seleção estava bem, que estava no caminho certo e tals. Até ai nada de mais. Não faz o menor sentido esperar isenção de quem ganha muito dinheiro justamente da atenção que o produto que divulgam tem.

Mas ontem eu li meio por cima o Alberto Helena na mesma linha. Esse já é um cara que considero muito mais.

Apesar de terem entrando em campo um monte de jogadores que o São Paulo revelou para o futebol ou, pelo menos, para a Seleção, e dos craques de um dos melhores times montados no Brasil deste milênio, Diego e Robinho; não dá para jogar aquela bolinha contra a Irlanda. Imaginem o escândalo se o Botafogo não ganhar do Rio Branco do Acre no próximo dia 27! Seria, no mínimo, inesperado.

A associação que consegui fazer ao futebolzinho apresentado foi esta:

Pois, guardadas as proporções a seleção e a cantora inglesa já mostraram que têm talento e ambos vivem usando umas drogas. Acho que pode ser culpa daquelas perversas companhias.

Ultimamente, Amy Winehouse tem sido mais interessante que o futebol da seleção. Ela ganhou pontos quando negaram-lhe o visto para os E.E.U.U.

Fora o sobrenome cool, ela assume suas opções sem medo e com talento:

Abraços,