quinta-feira, maio 05, 2011

A queda

Nunca na história deste país, fomos tantas vezes eliminados numa mesma noite. E se pensarmos que o jogo do Santos terminou na quarta, a devastação só não foi maior porque o goleiro praiano jogou como jamais fizera.
Uma pena, pois dois dos melhores times deste começo de ano (Cruzeiro e Inter) se despedem precocemente de seu maior objetivo. E sobrarão dedos apontados para a novidade de Falcão e a repetição de Cuca. Como sobrarão também para Muricy, caso o Peixe (que fecha o trio de grandes equipes deste semestre) mais uma vez caia diante do Once Caldas.
Mais do que azar, fatalidade ou sina, é preciso buscar razões nas quedas de ontem. Principalmente quando, à exceção do Grêmio, todos entraram como favoritos absolutos em seus embates.
Talvez não haja motivos para sermos favoritos. Mesmo porque a última vez que um time brasileiro ganhou a Libertadores enfrentando um sul-americano na final foi com o Palmeiras em 1999. E lá se vai um horóscopo chinês completo!

Um comentário:

Maria disse...

Muito triste mesmo todas as eliminações. Ainda se pensarmos que dois desses times tinham uma grande vantagem de poder perder de 1x0 e nem isso conseguiram. O caso do Flu, credito a motivos internos, de bastidores. Era um time perdido ontem. E do Cruzeiro, infelizmente, é a sina Cuca. Não tem jeito. Falta ao Santos provar que além do futebol bonito, pode também ser um time "copeiro". Vamos aguardar.