segunda-feira, março 12, 2007

A torcida do contra

Rubro-negro costuma brincar que só existem dois torcedores no Rio de Janeiro: o rubro-negro e o anti-Flamengo. Pode ser um exagero, mas não está tão longe assim da verdade. Na final da Taça Guanabara, ouvi na rua a mesma euforia quando o Flamengo marcou e quando o Madureira empatou.

A máxima ficou mais evidente ainda quando o lendário Eurico Miranda, pós-doutor nos artigos 171 e 157, disse que ver o Flamengo perder fazia-o mais feliz do que seu Vasco da Gama ganhar.

Seria hipocrisia minha dizer que não torço contra o Vasco, mas não costumo deixar minha vida de lado para assistir a seus jogos. Com o Fluminense e o Botafogo, minha torcida tem sido apenas para que permaneçam na primeira divisão para que o futebol carioca não fique tão desmoralizado.

E, mesmo assim, não deixo de querer ver Romário marcar. Afinal, ele já foi herói do Fla. Nem me importo se marcar o milésimo contra o Flamengo. Desde que ganhemos de 4x1!