sábado, maio 10, 2008

Mais uma crença se foi na quarta passada

Durante os tempos de faculdade, havia uma crendice que meus amigos acreditavam. Sei que é um tanto quanto estranho a junção entre pessoas do espaço universitário e superstição; mas contra fatos não há argumentos. Assim, escuto a mais de anos a inócua exasperação:

-- Pé frio!

Nunca deixei uma amizade porque sei que não dá para acertar todas e sempre soube que a abusão* iria cair por terra. Até aqui no Na Cal essa fala já teve espaço:

Até 2003, o São Paulo não conseguia bater o Corinthians. Mesmo quando o time era nitidamente superior e todas as condições favoráveis, o melhor resultado era um empatezinho. Por que isto acontecia? Coincidentemente, o mais ilustre são-paulino de Rio Claro estava presente na maioria dos jogos. Quem acredita em coincidências, não acredita em tabu e são os céticos os maiores colaboradores pela longa vigência de um tabu. Qualquer coincidência pode ser a causa. Portanto, observado o fato que se repetia, era necessário evitá-lo. Foi por isso que um torcedor do Atlético-MG foi convidado a substituir o amigo rio clarense para acompanhar a partida válida pelo primeiro turno do Campeonato Brasileiro de 2003. O tabu foi quebrado com gols de Fábio Simplício e Jean. (Trecho do texto Como quebrar um tabu)

Pois bem, no final do ano passado, eu estava no Rua Javari quanto o Moleque Travesso ganhou com um gol no último minuto com os caras. Após o jogo ouvi uns resmunguinhos aqui e ali. Mas, entre eles, prevalesceu que no Morumbi eu ainda era malsinado.

Na fatídica e fria quarta passada, eu e um dos que mantiam esse nonsense estavamos no Morumbi. Antes do segundo gol, já tinha ouvido uma retratação incondicionada. Fiquei feliz com a situação: um meu amigo saía das trevas! Confiei nele e apostei na hipótese vencedora.

Aqui vão alguns momentos dessa quarta:

Recebi a sugestão de musicar o vídeo com Palpite Infeliz, de Noel Rosa, mas a gravação do MPB 4 que encontrei não estava lá muito boa para os meus propósitos.

No entanto, não posso negar que meus pés e todo o resto do meu corpo é termicamente desprovido em função de meu portentoso 18,5 de índice de massa corporal. Mas isso é uma questão que cabe somente à namorada.

Abraços,

* 1 Engano perceptual que induz a confundir uma coisa com outra; ILUSÃO. 2 Crença supersticiosa. Do lat. avisio, onis, ‘ visão’, ‘ fantasma’.